segunda-feira, dezembro 29, 2008

Nota

Correspondência: uma simetria divergente, uma inqualificável geometria.

Só aí o divino, só aí o de fora se mostra dentro.

Ponto de fuga que converge, ponto de máxima fuga que irrompe.

segunda-feira, dezembro 22, 2008

sarx

dá-nos o dom da fé
oh deus
apenas

dissolve em nós toda
a
resistência

o pecado
na sua origem e seus modos
em sua finalidade
dissolve
oh deus

dá-nos o dom da fé
dá-nos
dá-nos tu oh deus
dissolve
toda a separação

assim seja
por jesus cristo nosso filho
que é deus contigo
na unidade da incarnação

segunda-feira, dezembro 15, 2008

Fazei o mar deflagrar nos rios, e não esboroar as suas margens

- Você é muito ecuménico, disse-lhe a pastora com o seu eclodido sorriso que tanto o contaminava, acompanhando-o com o seu também habitual gesto de braços que lhe fazia estalar a capa e dava a impressão que abraçando o ar, como que abarcava o mundo inteiro num anelo de amor e comunhão.

Depois riu-se e bateu-lhe carinhosamente na coxa, sentados que estavam lado a lado na assembleia vazia, enquanto ele sorria não apenas perante ela, mas perante aquela palavra cujo significado desconhecia, e que lhe despoletara imagens de campos e cavaleiros em contenda por fluxos contidos de ecus e poder, patacas e colonizações.

- Que coisa é essa? perguntou ele com um sorriso quase riso, Algum conceito protestante que desconheço?

Ela quedou-se olhando-o num pequeno estarrecimento, talvez pelas largas conversas teológicas e bíblicas já ocorridas, ou por ele ser um católico que já há quase dois meses era presença certa nas suas celebrações dominicais e outros convívios, partilhas e serviços.

- Mas você vem donde? exclamou, De marte? brincadeira que rimava de facto com a presença dele, aparecido sem mais naquele subúrbio laranjeiro, num quarto alugado como que sem motivo e por acaso. Ainda nunca calhara terem conversas mais biográficas, o que naquele momento também não lhe pareceu oportuno, e com novo abraço aéreo e global continuou Mais ou menos, e riu, Historicamente foi iniciado por protestantes. Ecumenismo é a relação entre as igrejas cristãs, com vista a uma possível unidade.

Ele estremeceu. Ah, havia isso? Interessante, comentou, vou-me informar, e conseguiu facilmente, dada a delicadeza dela, desviar a conversa para outros assuntos e decisões. Porque sabia, isso já percebera, que a unidade era uma categoria extremamente perigosa nas suas efectivações, orientação de comunhões abertas assim como de massificações alienantes, de diálogos na mutualidade assim como de manipulações despóticas, tal como o abraço de Jessica, a pastora, era de amor e alegria, mas o mesmo gesto noutro modo era a acção mais costumeira de estrangular o outro até à morte de ambos.

Como tantas vezes, a associação livre que lhe ocorrera, com os cavaleiros e suas espadas de sangue e domínio, rimava com os conteúdos analíticos da reflexão.

E naquela mesma noite, orou por unidades amorosas que fecundassem o mundo de supresas e destemores, pétalas de anjos que caíssem no rosto da humanidade raivosa.

Não sabemos a que horas adormeceu, nem o que leu ou não leu antes, mas uma coisa era certa: ele iria informar-se.

segunda-feira, dezembro 08, 2008

Aos mestres

Louvados os que espelham o ser e a verdade, louvados esses pequenos fulgores dos que a expõem e nela se expõem, os que pela qual agem e orientam, revelando e revelando-se.

Saúdo em acção de graças todos os que me despertaram e despertam, dos professores de matemática aos de artes marciais, dos que conversando a sabedoria fazem escutar, aos que no silêncio nos devolvem a nós próprios.

Seja essa a actividade mais nobre ou pereça a boa sociedade, a única actividade propriamente humana seja, a de dar e dar-se.

Louvados os que atraem à atracção, os que aplanam as veredas, desvendam desertos lunares e horizontes em fogo.

Todos os pequenos e grandes mestres em nós saúdo.

Louvadas as horas em que mostramos mutuamente caminho, em que descobrimos a descoberta e a alegria da sua sede, a exigência, o esforço partilhado.

Louvados vós, ó elevados caminhantes.

segunda-feira, dezembro 01, 2008

Correspondência

Leva-nos, nosso deus, que final e totalmente aqui estejamos. Que em teu abraço por fim tudo vejamos, na verdade em tudo sejamos, respira-nos oh nosso deus até ao fim.

Onde só tu podes haver e responder, onde só em ti possamos ser. Para lá de tudo e dentro, afinal, totalmente aqui.

Leva-nos oh deus, assim aqui sejamos, ámen.