segunda-feira, outubro 25, 2010

Disrupção

Que se fodam os evangelhos, os profetas, os clamores de Job. Que se foda a Igreja e a comunhão dos santos, que se foda a longa história de erros e acertos que se vão confundido. Que se fodam os teólogos e os pastores, que se fodam todas as doutrinas e ideologias, todas as memórias religiosas e humanas que se fodam. Que se foda tudo, até o resto, todo o resto, até eu próprio e tudo o que sou e não sou, que se foda tudo. Que se foda a morte, que se foda a alegria, a esperança e a beleza, que se foda o medo e o desejo. Que se fodam as palavras de oração, que se fodam os gestos de amor e agressão. Que se foda tudo o que se pensa saber ou ter vivido, que se fodam os anseios e a melancolia. Que se fodam os outros, que se foda o mundo, que se foda a justiça e a sentença. Que se foda a pobreza, a civilização, que se foda a poesia e a compaixão. Que se foda a confiança, que se foda a ternura, toda a amizade que se foda. Que se foda o tempo inteiro, que se foda o olhar e a respiração. Todas as coisas que se fodam até desaparecerem.

Há manhãs assim: só Tu, e nada.

5 Comments:

Blogger thepoisonousi@thehospital.com said...

Vítor,

vinha perguntar-te se permites que publique este texto no meu blogue. Devidamente creditado, evidente.

Abraço.

8:37 da manhã  
Blogger HornedWolf said...

:)

8:39 da manhã  
Blogger Vítor Mácula said...

à vontade, poisonousi :)

abraço, Wolf

2:16 da tarde  
Blogger BLUESMILE said...

dase

Fiquei sem fôlego ao ler este post.
Abraço forte.

1:44 da tarde  
Blogger Vítor Mácula said...

saber respirar na refrega é uma arte ;)

abraço, bluesmile

4:20 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home